Home

Como reduzir em até 40% suas despesas com sua Sala de Corte e ainda ganhar excelente produtividade e velocidade de corte em sua Confecção

CORTE MANUAL

Sou do tempo em que se usava texografia (técnica que consiste em criar ou fotografar moldes em tamanho cinco vezes menor que o original, no meu tempo se fazia essa redução utilizando-se um pantógrafo, já que não existiam ainda, computadores e muito menos os sistemas de CAD’s) para promover o encaixe dos moldes com melhor aproveitamento.

Era um processo demorado e que exigia muita atenção e concentração do texógrafo (pessoa que operava o pantógrafo).

Corte Manual

O processo se desenrolava da seguinte forma: o modelista fazia o molde no tamanho M ou 40, e o texógrafo fazia a graduação para os outros tamanhos desejados e depois os reduzia para um quinto de seu tamanho para que fosse feito o encaixe miniaturizado do risco. Essa miniatura do risco era enviada para a Gerencia de Corte, junto com a modelagem ampliada em tamanho original para que fosse confeccionado o risco, para o Enfesto de acordo com a miniatura recebida.

O enfesto (técnica de sobrepor folhas de tecido alinhando-as pelas ourelas) também era manual. Duas pessoas estiravam o tecido sobre uma mesa, ficando uma delas encarregada de alinha-lo por uma das ourelas. A quantidade de folhas por cor ou estampa era sempre determinada pela quantidade de peças que se desejava cortar, indicadas na Ordem de Corte.

Completado o enfesto o risco em seu tamanho original era colocado sobre o enfesto. Fixado com alfinetes, garras ou cola. Seguia-se então o processo de corte, iniciando o corte pelas partes menores tendo sempre o cortador a sua disposição dois auxiliares de corte para separar as partes cortadas por tamanho e retirar os resíduos da mesa de corte.

Após o corte as partes cortadas separadas por tamanho eram etiquetadas e transformadas em lotes para serem enviadas ao processamento ou produção.

Para operar uma sala de corte manual em uma empresa de médio porte (6.000) peças dia, era necessário um staff conforme abaixo.

  • 1 – Gerente de Corte
  • 2 – Riscadores
  • 8 – Enfestadores
  • 4 – Cortadores
  • 4 – Auxiliares de Corte
  • 5 – Separadeira/Etiquetadoras para confecções de Lotes

Além de pelo menos quatro mesas de risco/enfesto/corte/separação/etiquetagem, de pelo menos doze metros. Mais máquinas de corte tipo faca e disco, máquina de cortar viés, sargentos e barras de ferro para a marcação e fixação de enfestos, réguas “T”, esquadros, aparadores de final de enfestos, estantes para descanso de tecidos, etc.

O “lead time”, da liberação da Peça Piloto até a entrega à produção interna ou externa, era de aproximadamente 8 dias, considerando o tempo de descanso de 48 horas para tecidos com elastano ou 24 horas para malhas tubulares, segundo orientações dadas pelo fabricante do tecido.

Obviamente que estas regras não se aplicavam a todas as indústrias de confecções. Haviam industrias que “corriam o risco” e faziam os enfestos sem qualquer tempo de descanso em qualquer tipo de tecidos.

CORTE ELETRÔNICO

O advento de novas tecnologias, principalmente envolvendo o desenvolvimento de softwares para a Gestão da Industria de Confecções, Criação, Modelagem, Risco e Corte, esse avanço foi exponencial provocando uma nova forma de Gestão da Sala de Corte, a preparação da empresa para receber essa nova tecnologia e tirar dela o maior proveito possível.

Uma sala de corte eletrônica é formada por softwares de Gestão, Design, Criação, Modelagem, Encaixe (CAD) e de Corte, além de Mesas de Corte com Insuflação, Enfestadeira Eletrônica, Máquina de corte Eletrônica e Mesas de apoio para a Separação e Formação de Lotes.

 MAQUINAS DE CORTE ELETRÔNICAS

eNF.wELTTEC

Figura 1 HY-H – http://www.welttec.com.br

Hoje é compulsório, ou se trabalha utilizando uma sala de corte eletrônica ou se fica fora do mercado devido a diferença de custo do corte manual e o corte utilizando-se meios eletrônicos.São inúmeras as empresas que oferecem “Salas de Corte Eletrônicas”, HY-H, representada pela Welttec; Bullmer, representada pela Silmaq; Morgan Técnica, representada pela MAB Fortuna; Optikad representada pela Optikad, aqui no Brasil, Audaces, (única desenvolvida e totalmente fabricada no Brasil), e outras marcas.

Nesse caso a redução considerável de custos se dá pela economia de tecido e pela eliminação substancial de desperdícios, pela redução do staff do corte, além do ganho considerável de tempo no “lead time do corte”. Isto significa dizer que se ganha tempo para produção e entrega dos pedidos dentro dos prazos estipulados pelo comprador.

É preciso entender que cada equipamento tem suas características próprias e que a escolha não pode ser apenas pelo menor preço do conjunto ou pelo melhor financiamento. A compra desse equipamento tem que ser precedida de um “estudo de viabilidade técnica” já que é um investimento de alto custo e longo prazo, que apesar de dar um rápido retorno é definitivo.Pode-se também afirmar, sem sombra de dúvidas, que a excepcional qualidade do corte eletrônico dar um ganho de produtividade relevante na produção, eliminando a necessidade de aparas e de medições pelas operadoras, já que a marcação de posicionamento de bolsos, penses, etc. podem ser feitas durante o enfesto através de marcações previamente colocadas nas modelagens e reconhecidas pela máquina de corte eletrônica, facilitando sobremaneira a montagem e a confecção dos modelos.

Maq.MAB

Figura 3 – Razzor 25 – http://www.mabfortuna.com.br

Tudo deve ser observado minunciosamente, estudado e informado a empresa vendedora, para que ela defina a largura das mesas de corte e da janela de corte da máquina a ser adquirida: Tecidos usualmente utilizados pela empresa, (gramatura, composição e largura); possibilidade de novos tecidos com larguras/composições diferentes, já que esses equipamentos têm suas características de “janelas de corte” diferentes para cada largura e gramatura de tecidos. Além do que as mesas insufladas de corte devem ter a mesmas larguras dessas referidas janelas.Tenho aconselhado meus Clientes em todo Brasil quando solicitado, a somente fazerem essa aquisição, depois de um apurado estudo de “Viabilidade Técnico e Econômico”, de facilidades de manutenção, custos de instalação, pacote de softwares que acompanham e facilitam o trabalho da Criação (Estilo, Design, Modelagem, Encaixe, Risco, Corte) e Financiamentos, sempre levando em conta o resultado do custo benefício tanto técnico como financeiro, além de um layout prévio da Sala de Corte com planta física do espaço.

Maq. Orox

Fig 4 – Maquina OROX Optikad – http://www.optikad.com.br

 As instalações elétricas devem possuir uma rede estabilizada e aterrada de acordo com as especificações de cada fabricante. O sistema de Wi-Fi deve ter qualidade para a comunicação entre o CAD e máquina. Infelizmente, em algumas empresas a utilização de “atalhos” (instalações mais baratas ou feita por leigos) levam a grandes problemas. Não se pode esquecer que uma Sala de Corte Eletrônica tem equipamentos de alto valor e seu desempenho depende de operadores bem treinados e também de instalações condizentes com as características de cada fabricante.

Neo Cut AUDACES - A520

Fig 5 – Neo Cut AUDACES – A520 – http://www.audaces.com.br

ENFESTADEIRAS ELETRÔNICAS

Todos os fabricantes de máquinas de corte eletrônicas têm uma Enfestadeira eletrônica para recomendar, de sua própria fabricação ou fabricadas por terceiros. O importante é eu elas possuam algumas características que são fundamentais para o sucesso e seu desempenho na sala de corte eletrônica.

Características gerais

  • Largura útil de 1,80 m à 2,20 m
  • Diâmetro do rolo 70 cm
  • Peso do rolo 100 kg
  • Velocidade de enfesto 100 m/m
  • Alinhador de ourela através de sensores
  • Enfestos de até 22 cm
  • Enfesta folha a folha e zig zag
  • Tecido plano, tubular e ramado
  • Direto do rolo e descansado

Software de gestão da Enfestadeira

  • Painel digital “touch screen” de fácil manuseios e compreensão
  • Tração positiva
  • Programação de ajuste de tamanho e quantidade de folhas
  • Ajuste de velocidade de enfesto
  • Ajuste de liberação de tecido para enfesto
  • Sistema de corte de folhas por disco, automático e manual
  • Sistema de transporte do operador para melhor visualização do enfesto e possíveis defeitos

Alguns modelos com estas características

Enfestadeira Morgan
Enfestadeira Morgan – http://www.mabfortuna.com.br

Existem alguns mitos sobre a capacidade técnica das Enfestadeiras Eletrônicas que colocam sua eficiência em dúvida quanto a sua capacidade de enfestar, tecidos leves, crepes, microfibras, chifon, micro elas, tecidos bordados ou transparentes. Normalmente isso acontece pela falta de treinamento dos operadores ou até mesmo pela falta de conhecimento técnico do Gerente da Sala de Corte.Todas as Enfestadeiras acima têm praticamente, as mesmas configurações, e permitem inclusive, o enfesto diretamente do rolo

Enfestadeira \Linea Audaces

Enfestadeira \Linea Audaces – http://www.audaces.com.br

do tecido, independentemente de ter o tecido em sua composição, malha tubular ou ramada, elastano ou lycra. Isso se dá pelo fato de todas possuírem o sistema de “tração positiva” que é a propriedade de enfestar depositando o tecido na mesa de enfesto sem traciona-lo. Enfestam qualquer tipo de tecido desde a lona até os tecidos mais leves como microfibras e chifon.

Abaixo, modelo de sala de corte, para indústria de confecções do segmento de modinha (Street Wear):

Enfestadeira K5 - Welttec

Enfestadeira K5 – Welttec – http://www.welttec.com.br

  • Capacidade de Corte em oito horas/dia de trabalho = 6.000 peças/dia
  • 6.000 peças/mês considerando três riscos por modelo (tecido (1) +Tecido (2) + entretela) com média de 500 peças por modelo
  • São 36 riscos dia com a máquina na velocidade de 80 m/p/min

Staff Opreacional

  • 1 – Gerente (Encarregado) de Corte
  • 2 – Operadores para a Máquina de Corte – Operador + Auxiliar
  • 2 – Operadores para Enfestadeira – Operador + Auxiliar
  • 4 – Auxiliares de Corte para reposição, separação, formação de lotes e empacotador.
Enfestadeira Silmaq - www.silmaq.com.br

Enfestadeira Silmaq – http://www.silmaq.com.br

Tanto o Operador da Máquina de Corte, quanto seu Auxiliar, devem ser treinados e devem ter conhecimento técnico sobre a operacionalidade do equipamento. O Operador da Máquina fazendo rodízio com seu Auxiliar, de forma a permitir que ele tenha conhecimento e prática, para substitui-lo em eventuais faltas ou períodos de férias.

O mesmo procedimento deve ser adotado pelo Operador da máquina de Enfestar, sendo necessário que sempre, em caso de férias individuais, um Auxiliar de Corte seja disponibilizado para apreender a Operar a Máquina de Enfesto ou a Máquina de Corte.

Enfestadeira Optikad - www.optikad.com.br

Enfestadeira Optikad – http://www.optikad.com.br

A Sala de Corte abaixo, foi implantada com equipamento da Audaces, sendo composta por:

Sala de Corte 1:75

Sala de Corte – Escala =  1:75

  • Máquina Neu Cut Audaces A520 com deslocamento
  • Enfestadeira Audaces Línea com deslocamento
  • Duas mesas insufladas de 13,50 m com duas turbinas cada
  • Uma Máquina de Corte manual de 7” (máquina auxiliar para possíveis reposições)
  • Uma Máquina de Corte manual a Disco 4” (máquina auxiliar para possíveis reposições)

M&M – Assessoria Técnica para Confecções
Milton Saraiva Mota –
Curriculum veja aqui
Consultor de “chão de fábrica”
mmtec.consultoria@gmail.com
55 85 99186 2066 What’sApp – Tel 64 98431 4716
www.mmtec.wordpress.com

Member

Linkedin

Twitter       Google+        Facebook      Tumblr

Algumas Empresas atendidas pela M&M Assessoria Técnica para Confecções

Barra de empresas

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s