Home

          O absenteísmo tem sido a maior causa da baixa produtividade nas indústrias de confecções de um modo geral.

Temos indústrias com percentuais acima de 26% em seus quadros, isso provoca uma redução drástica na produtividade da empresa causando, além disso, quebras no planejamento da produção, descontentamento da equipe de produção pelo não alcance de metas e consequentemente perda do prêmio de produção e atrasos na entrega dos pedidos, para não falar da desmotivação que tudo isso causa.

          O que fazer?

Sabe-se hoje, que a qualidade de vida dos funcionários é uma ferramenta primordial no sentido de aumentar-se a produtividade através da redução do absenteísmo de forma permanente. Funcionário satisfeito com seu ambiente de trabalho não falta, é parceiro motivado é multiplicador.

“Quando se fala em humanizar a organização é fácil entender que o que se pretende é
a criação de climas propícios para que as pessoas e grupos possam, pelo exercício da
participação, da autonomia, do autocontrole, encontrar condições de motivação e
desenvolvimento. (TOLEDO, 2003, p. 52).’

          Um bom Programa para a Redução do Absenteísmo passa obrigatoriamente pela humanização da produção, através de melhorias no ambiente de trabalho e a qualidade de vida dos funcionários.

• Meios de transporte
o Qualidade
o Tempo de Percurso
o Iniciativa/Patrocínio
• Alimentação
o Qualidade
o Reeducação Alimentar
• Instalações
o Ventilação
o Iluminação
o Assentos
• Programas de motivação
o Ginástica Laboral
o Área de Lazer
o Biblioteca
• Recompensas
o Prêmios de Produção por Equipe
o Prêmios de Produção por Equipe e por Eficiência Individual

Além da auto avaliação acima deve ser aplicado o Formulário de Avaliação Científica QVT para que a empresa passe entender as necessidades de seus colaboradores e saná-las na medida do possível.

“A QVT produz um ambiente de trabalho mais humanizado. Seu objetivo é servir
tanto às aspirações mais altas dos trabalhadores quanto às suas necessidades mais
básicas. Ela procura aproveitar as habilidades mais refinadas dos trabalhadores e
proporcionar um ambiente que encoraje a desenvolver suas capacidades.”
Davis e Newstrom (2001, p. 148),

          Depois de várias pesquisas sobre QVT, diversas ferramentas foram desenvolvidas para medir o nível de qualidade de vida no ambiente da empresa. Um dos instrumentos mais conhecidos e um dos primeiros a ser utilizado é o WHOQOL (World Health Organization Quality of Life), um questionário desenvolvido pela OMS que “consiste num instrumento de 100 questões referentes a seis domínios: físico, psicológico, nível de independência, relações sociais, ambiente e espiritualidade/religião/crenças pessoais”

Esse questionário surgiu com o intuito de estabelecer uma forma unificada de avaliar a qualidade de vida, independentemente do lugar (país, sociedade, cultura) onde a empresa estive localizada, para isso contou com a colaboração de 15 centros (organizações) de culturas diferentes que serviram de experimento, para a realização do projeto piloto desse método.

A partir disso surgiram outros métodos similares a este que foram sendo disseminados em várias partes do mundo, um deles é o WHOQOL-bref que é composto de apenas 26 questões, extraídas do WHOQOL-100, e subdivididas em quatro domínios: físico, social, psicológico e ambiental. Não possui a mesma amplitude e precisão do primeiro, mas pode ser utilizado para avaliar satisfatoriamente o nível de QVT dentro de uma organização.

Outro método que também baseia-se no modelo do WHOQOL-100 é o QWLQ-78 – Quality of Working Life Questionnaire (Questionário de Qualidade de Vida no Trabalho) – um questionário avaliativo da QVT desenvolvido e composto por 78 questões, que também estão subdivididas em quatro categorias distintas: domínio 34 físico composto de 17 questões, o domínio psicológico com 10 questões, o domínio pessoal que possui 16 questões e o profissional que por sua vez possui 35 questões. Essa diferença do número de questões no domínio profissional refere-se justamente ao grande número de indicadores contidos nesse domínio.

O QWLQ-78, a exemplo do WHOQOL-100, é um questionário extenso no número de questões, tratando-se de um ferramenta para pesquisa de campo, e como alternativa a esse problema, versões abreviadas foram criadas para ambos os métodos com o objetivo de facilitar a aplicabilidade dos mesmos. Tal como o WHOQOL100 foi reduzido ao WHOQOLbref em suas 26 questões, o QWLQ-78 deu origem a um modelo mais simplificado de questionário, fazendo uma correlação das questões em seus respectivos domínios para que fosse construída uma ferramenta com apenas 20 questões, o QWLQ-bref. “Para a composição da versão abreviada do QWLQ-78, foram selecionadas as questões, mais correlacionadas com o escore global da QVT. (Qualitativo de Vida no Trabalho)

Como já se viu as medidas administrativas, punições, subtrações de vantagens, restrições a prêmios e a vantagens e outras medidas, tornam-se apenas uma queda de braço que não resolve nada, a não ser para elevar o nível de exacerbação no ambiente profissional com prejuízos para os dois lados.

Nossa empresa pode ajudar nesse trabalho de pesquisa da Qualidade de Vida do Trabalhador (QVT) visando a Humanização do Trabalho em sua empresa e a redução do absenteísmo a níveis toleráveis.

Atenciosamente

M&M Assessoria Técnica para Confecções S/C
Ideias, Trabalho & Ação
Milton Saraiva Mota
Consultor de “chão de fábrica”
mmtec@hotmail.com
55 85 9186 2066 What’sApp – 55 64 98431 4716

Algumas Empresas atendidas pela M&M Assessoria Técnica para Confecções

Barra de empresas

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s