Home

Em conversas com clientes, principalmente do segmento de confecções, de vez em quando, escuto os seguintes comentários ”como vamos fazer para competir com os Chineses, como vamos trabalhar com essa carga de tributos tão alta, como vamos conseguir mão de obra”

         Para começo de conversa os Chineses não me assustam com sua capacidade de competição e, se vocês querem saber, eles são o despertar de uma realidade para todos os que trabalham no ramo têxtil e de confecções.
Durante décadas nos colocamos numa situação de “conforto absoluto”, já que a competitividade se igualava, pois todos fabricavam os mesmos produtos, com as mesmas matérias primas, dos mesmos fornecedores, e quase sempre copiando um do outro. Ganhava mais aquele que sonegava mais, trabalhava na clandestinidade não pagando encargos trabalhistas, impostos, etc…
Nunca houve uma preocupação, mesmo diante dos exemplos externos, com a qualificação de mão de obra, com a adoção de novas tecnologias, com a automação industrial, com a inovação, com a melhoria das condições de trabalho, etc…

              A única preocupação dos empresários, em sua maioria, sempre foi em investir em imóveis e bens de consumo.

           Acontece que os tempos mudaram. A Receita se Informatizou de uma forma tal que é quase impossível a pratica da sonegação, você pode até continuar sonegando, mas o que vemos é que mais cedo ou mais tarde (sempre mais cedo), os computadores acabam por desmascarar os sonegadores, e aí tudo aquilo que foi sonegado e mais um pouco, é devolvido com o agravo de juros e correções infinitas, além do desgaste pessoal e da imagem da empresa.

           Além disso, o Ministério do Trabalho modernizou-se tornando mais atuante com a ajuda dos sindicatos de classe.

           A escassez de mão de obra qualificada provocou e tornou-se um grande problema. Não houve investimentos nesta área e os que aconteceram, foram tímidos demais para a nossa necessidade de expansão, tanto por parte dos sistemas SENAI, SESI e SESC, quanto por parte dos empresários que em sua maioria fecharam as “escolinhas” que formatavam mão de obra para suas indústrias. Um verdadeiro “tiro no pé”. A procura pela mão de obra qualificada hoje é infinitamente maior do que a oferta, fazendo com que os salários se elevem a patamares nunca imaginados. Instalou-se o “canibalismo” entre as empresas, pela competição da mão de obra mais qualificada. Hoje não se busca qualificar, mas sim buscar no mercado a qualquer custo, a mão de obra necessária.

      O que é mais interessante, é que apenas alguns empresários do setor de confecções conseguem enxergar que é preciso mudar, A maioria continua se lastimando e imputando culpa, com sua metralhadora de desculpas aos chineses, ao governo, aos sindicatos, que não os deixam em paz, esquecendo-se de que devem reinvestir parte do que ganham em suas próprias empresas, que na verdade são suas “galinhas dos ovos de ouro”, e que precisam se alimentar de forma consciente para poderem competir de igual para igual com seus competidores internos e externos.

           O “grande segredo” para competir com as empresas externas e internas, bem sucedidas, e com a carga tributária (que sempre existiu) passa pela reestruturação, primeiro: do modo de pensar dos empresários, investimento não é despesa; segundo: por um amplo investimento no setor produtivo da indústria, tornando-o mais ágil através a absorção de novas tecnologias; terceiro: automação de processos produtivos para a redução dos tempos de produção e sua consequente redução de custos e de mão de obra(modernização do parque fabril); quarto: inovação na área industrial, marketing e vendas. (Adequar seus custos ao que o mercado pode pagar. Fidelizar clientes. Market de rede, etc. Agressividade no marketing e nas vendas); quinto: formação e qualificação de mão de obra transformando seus operários/funcionários em verdadeiros parceiros de sua empresa, através de uma politica funcional que prime por boas condições de trabalho e salários justos.

M&M Assessoria Técnica para Confecções S/C
Ideias, Trabalho & Ação
Milton Saraiva Mota
Consultor de “chão de fábrica”
55 85 3055 0808 – 55 85 8752 4797

Autor do:
“Guia Prático para Confecções, 6a Edição”
“Ferramentas de Gestão da Qualidade para Confecções”
“Corra, o tampo não espera por você”
“http://stbrowse.blogspot.com.br”
55 85 9186 2066 What’sApp – 55 64 98431 4716
mmtec@hotmail.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s