Home

“Aplicação de ferramentas de engenharia de produção para a melhoria da produtividade com qualidade”

Desperdício de tempo e matérias primas, movimentação e transporte excessivo e controles ineficientes de produtividade, são os principais problemas enfrentados pelas empresas de confecções.

Objetivando a melhoria do desempenho do setor produtivo, é necessário investimentos na área de Engenharia de Produção com a contratação de profissionais, estagiários e serviços técnicos de consultoria
.
O setor de Produtos (Estilo) deve estabelecer uma metodologia de criação de coleções planejando quantidade de peças por tipo de produto a serem confeccionados, preparando a Ficha de Pilotagem com todas as informações possíveis para a modelagem e montagem da Peça Piloto. Aprovada a Peça Piloto deve criar a Ficha Técnica para a confecção da modelagem. Todo o processo acima deve ser acompanhado pelo PCP

O PCP (Planejamento e Controle da Produção), deve ser eficiente e que de fato tenha sob sua responsabilidade desde as informações sobre compras de matérias primas e aviamentos, disponibilizando-os através de Ordens de Fabricações completas, a fim de que não haja quebra no fluxo produtivo por faltas de matéria primas ou aviamentos.

Os tempos padrões devem ser obtidos através de um Cronometrista e nunca baseados em tempos padrões ou em medições de outras empresas. A cronometragem deve ser realizada para cada modelo, individualmente. Um mesmo modelo deve ter seu tempo padrão avaliado inclusive, na troca de tecidos.
O cronoanalista deve preparar a Rota de Fabricação detalhada, com todos os tempos por operação e máquinas que devem usadas em cada uma delas, linha e fios, gramatura e cor; tipo de agulhas a serem usadas, etc.

O fluxo operacional deve ser acompanhado desde a pilotagem, ocasião em que o método mais eficiente de confecção é analisado e avaliado o uso de aparelhos para a facilitação da produção. Durante a confecção dos mostruários o acompanhamento do fluxo operacional deve ser acompanhado, ocasião em que se pode analisar o método mais eficiente para a confecção da peça com a identificação e a utilização de novos aparelhos. Nesse momento devem ser analisados os tempos padrões obtidos durante a confecção dos mostruários.

A cronoanalise deve ser expandida aos setores do corte até a expedição para o dimensionamento da capacidade de produção de cada setor inclusive, o dimensionamento do pessoal necessário para a obtenção de metas, permitindo o cálculo da eficiência real da fábrica.
Com os tempos padrões estabelecidos, pode-se criar métodos mais eficazes de premiação através de medições de eficiências individuais e em grupo, hora/hora. Com o advento das novas tecnologias da informação, isso pode ser feito com a adoção de softwares próprios com ganhos reais de produção de até 28% na produtividade por grupo. Essas informações devem ser expostas e visíveis a todos os membros do grupo de forma que eles possam monitorar sua produção e do grupo hora/hora, dia/dia e mês/mês, inclusive com o valor do prêmio até aquele momento.

A elaboração do fluxograma da empresa faz com que possamos estabelecer o lead time do produto desde a entrada do tecido até a entrada do produto acabado na expedição, permitindo ainda a visualização e correção de possíveis problemas.

De posse do fluxograma do produtivo o layout deve ser montado observando-se a Rota de Fabricação, em forma de Grupos ou Células de Produção, por famílias de produtos objetivando-se o menor movimento de produtos entre as máquinas obtendo-se assim o menor tempo de fabricação.

Faz-se necessário o estabelecimento de um Programa de Manutenção Preventiva das Máquinas de Costura e Equipamentos, com Fichas de Manutenção para cada equipamento ou máquina, apontando dia e hora em que foi feita a manutenção, que peças foram trocadas e quem o fez.

O PCP deve orientar as prioridades desde a emissão da Ordem de Fabricação até a Expedição, estabelecendo datas para cada etapa da produção desde o Corte até o Faturamento e entrega. Essa sincronia fará com que fluxo produtivo seja permanente e continuo, sem interrupções. Para qualquer desvio deve ser planejada uma solução alternativa com o mínimo de prejuízo para os Grupos.

È recomendável a implantação da Norma NBR5426 que trata da inspeção de qualidade por amostragem. Esse procedimento reduz sensivelmente o custo da inspeção já que a Norma NBR 5426 estabelece padrões e percentuais para a inspeção do produto por lotes. Outra forma de medir e inspecionar a qualidade é o sistema AQL (Níveis Aceitáveis de Qualidade) onde é estabelecido o nível mínimo de aceitação da qualidade por inspeção.

È inerente ao ser humano ser motivado em todas suas atitudes, principalmente no trabalho. A criação de prêmios de eficiência individuais e de grupos é uma das formas motivacionais mais usadas na empresas de confecções. Entretanto é preciso muito cuidado. As metas projetadas têm que ser viáveis e perfeitamente alcançáveis e, sempre baseadas nos tempos e movimentos obtidos por uma cronometragem rigidamente correta. A transparência nas informações e o gerenciamento democrático devem ser primícias para a implantação de qualquer programa motivacional. Cada operador de cada grupo tem que ter as informações sobre sua produtividade informadas e visíveis para consulta a qualquer momento. A melhor forma de fazer isso é informatizar toda a empresa disponibilizando essas informações em monitores na frente da cada grupo com atualização das informações hora/hora.

O Gerenciamento democrático e participativo deve contar a participação efetiva e aprovação da Diretoria da empresa. Ela deve promover reuniões semanais com Líderes de Grupo, Encarregados e Gerentes de Setor para a identificação de problemas e gargalos no processo produtivo, discutir soluções e metas para cada setor e estabelecer datas para o alcance dessas metas e cobrá-las. È fundamental para o sucesso motivacional da empresa, que os salários e os prêmios sobre a produtividade e eficiência sejam pagos nas datas acordadas, evitando-se a síndrome do recebimento que é a angustia de não saber, ao certo, o dia do pagamento. Devem ser colocadas regras claras para isso no Manual de Normas e Rotinas da Empresa.

Todo esse sistema motivacional contribui para a diminuição do absenteísmo e o nível de insatisfação dos empregados e a desmotivação.

È necessário que pelo menos uma vez por ano seja feita uma pesquisa de avaliação do grau satisfação dos empregados em relação à empresa, ao impacto das mudanças e à disseminação dos valores organizacionais.

Essa pesquisa pode ser feita através de um formulário com questões que devem ser respondidas, anonimamente por cada funcionário da empresa.
O resultado dessa pesquisa fornece várias diretivas para as melhorias na limpeza, ventilação, alimentação, transporte dentre outras.

Considerações finais

Em nenhuma empresa as decisões devem ser tomadas na cultura do “acho que…”.

Todas as decisões devem ser tomadas baseadas em dados e informações, confiáveis, preferencialmente em tempo real. Hoje o tráfego de informações representa o coração de uma empresa e deve ser o processador das decisões.

Lembre-se : ”A informação gera envolvimento e o envolvimento gera compromisso”

Planejamento é e sempre foi a palavra chave para a obtenção de produtividade com qualidade

È de extrema relevância para a obtenção de resultados positivos o envolvimento da direção da empresa, que deve participar comprometendo-se nas atividades de melhorias, possibilitando que as mudanças aconteçam.

M&M Assessoria Técnica para Confecções S/C
Ideias, Trabalho & Ação
Milton Saraiva Mota
Consultor de “chão de fábrica”
mmtec@hotmail.com
55 85 3055 0808 – 55 85 8752 4797

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s